Brazil Spring:. Who are the Boys and Girls occupying 961 Schools and Universities

brazil-spring-b2

By Joan Edesson de Oliveira / Portal Vermelho translation by TheFreeOnline

Students have now decided to occupy the Federal University of Rio de Janeiro against the PEC of Death Via CUCA da UNE:

: after a long assembly in the rectory building, 800 students who participated in the discussion decided to occupy the rectory building next Monday, 07 Nov. Other university campuses, such as the National Faculty of Law, Macaé and Praia Vermelha Are added to the occupation of the Institute of Philosophy and Social Sciences, the IFCS.brazil-spring

Estudantes ocupam 961 escolas e universidades 

They scatter through the streets, the schools, the universities. They are no longer content to wait for tomorrow, they do not just want, as Max Górki said, to have the face of tomorrow. They are thirsty for today, they are hungry for the now.

Who are these  boys, who occupy Brazil, who overflow in their youth and their rebellion, who can no longer be hidden, no matter how hard they try? They are heirs of other boys, in places and times so many of our history. They are heirs of that Bahian boy Antonio de Castro Alves, abolitionist and republican, so powerful a voice to preach to the centuries that “every night has auroras” and to say to the young men like him that “it does not take the dawn of the redemption”. They are descended from the Alagoan boy, Zumbi, who still bears the command of men and dreams of freedom.brazil-spring-3

Who are these girls, bustling and looking so alive, who exude beauty and courage, who raise their sweet and firm voice in hostile tribunes, forcing old conservatives to look away, ashamed and defeated, no matter how they look upon victors? They are direct descendants of that girl Anita Garibaldi, who at eighteen years of age made war and love, setting fire to the south of Brazil with the flame of freedom. They come from the Bahian Maria Quitéria, putting in flight the Portuguese oppressor. They come from another Bahia, Maria Bonita, who at the age of twenty raised the tenderness and winged herself in legend in the ”caatinga sertaneja”.educacao-investimento-1

Why do they arouse so much hatred in the elites, why are they so attacked? They are not an army with tanks, missiles, rifles. They are not a foreign force invading us. What danger do they pose then? Why do newspapers and TV stations go so far as to attack them? Why do representatives of an illegitimate, old, macho, and misogynist government attack these girls with such force? Why do they recruit militias who seem integralists out of a musty history book to attack these young people?edf38808-fc0b-42ca-b69e-89a4f06b9c09

Is that these boys, these girls, loose laughter and free laughter, are a great threat. The foundations of this secular building of the ruling classes tremble at their laughter, they fear their laughter. But above all, what really fears are the dreams of these boys and girls. Yes, they dream. They dream of quality education, dream of justice, dream of a police force that is not a youth executor, dream of a new Brazil and have the purest and surety that the new always comes.escolas-ocupadas-brasil

That’s why they’re so dangerous. That is why there are sold journalists who attack them. That is why there are prosecutors who order them to be handcuffed. That is why there are judges who authorize and recommend the use of torture techniques against them. That’s why there are cops ready to hit, to punch, to arrest. Because these boys and girls are dangerous because they have grasped the future with their hands and want the future to be here and now, not in a time that never comes. These boys are dangerous because they can put the world upside down, and turn it into party, labor and bread, as the poet dreamed.ocupa2

And these boys and girls are armed. Their weapons are the ideas they carry, they are the verb that cuts, the voice that ignites. They are armed, they. They carry with them the most powerful weapon there is. As in Person, they bring in all the dreams of the world.images-cms-image-000520163

It seems that they came out of some poem, these boys, these girls. They seem to have come out of some poem, in times of darkness, so long night, to run through the corners of Brazil, calling at dawn, lighting the mornings.ocupa-1

http://www.conversaafiada.com.br/brasil/quem-sao-os-os-as-occupador-ascolas


original no portugués

Brasil:  Quem são os jovens que ocupam as escolas

Por Joan Edesson de Oliveira

Até a UFRJ!Hoje na UFRJ. Os acendedores de manhãs. Ah! Esses meninos. Ah! Essas meninas.ocupa

Após a decisão dos estudantes de ocupar a Universidade Federal do Rio de Janeiro contra a PEC da Morte (ver “em tempo” e “em tempo2”), o Conversa Afiada reproduz artigo de Joan Edesson de Oliveira no Portal Vermelho:

Espalham-se pelas ruas, pelas escolas, pelas universidades. Não se contentam mais em esperar pelo amanhã, não querem apenas, como deles dizia Máximo Górki, ter a face do amanhã. Têm sede de hoje, estão famintos pelo agora.

Quem são esses meninos, que ocupam o Brasil, que transbordam em sua juventude e em sua rebeldia, que não podem mais ser escondidos, por mais que tentem? São herdeiros de outros meninos, em lugares e em tempos tantos da nossa história. São herdeiros daquele menino baiano Antônio de Castro Alves, abolicionista e republicano, voz tão poderosa a pregar aos séculos que “toda noite tem auroras” e a dizer aos moços como ele que “não tarda a aurora da redenção”. Descendem eles do menino alagoano Zumbi, que imberbe ainda comandou homens e sonhou a liberdade.

Quem são essas meninas, buliçosas e de olhar tão vivo, que transpiram beleza e coragem, que erguem a voz doce e firme em tribunas hostis, obrigando velhos conservadores a desviar o olhar, envergonhados e derrotados, por mais que se vistam de vencedores? São descendentes diretas daquela menina Anita Garibaldi, que aos dezoito anos fazia guerra e amor, incendiando o sul do Brasil com a chama da liberdade. Elas vêm da baiana Maria Quitéria, pondo em fuga o opressor português. Vêm de outra baiana, Maria Bonita, que aos vinte anos armou a ternura e alou-se em lenda na caatinga sertaneja.

Por que despertam tanto ódio nas elites, por que são tão atacados? Não são um exército com tanques, mísseis, fuzis. Não são uma força estrangeira a nos invadir. Qual o perigo que representam, então? Por que jornais e emissoras de TV se empenham tanto em atacá-los? Por que representantes de um governo ilegítimo, velho, machista e misógino, atacam com tal força essas meninas que discursam? Por que recrutam milícias que parecem integralistas saídos de um mofado livro de história para atacar esses jovens?

É que esses meninos, essas meninas, riso solto e gargalhada livre, são uma grande ameaça. Os alicerces desse edifício secular das classes dominantes tremem ante o riso deles, temem a sua gargalhada. Mas acima de tudo, o que causa temor mesmo são os sonhos desses meninos e meninas. Sim, eles sonham. Sonham com educação de qualidade, sonham com justiça, sonham com uma polícia que não seja executora da juventude, sonham com um Brasil novo e têm a mais pura e justa certeza de que o novo sempre vem.

É por isso que eles são tão perigosos. É por isso que há jornalistas vendidos que os atacam. É por isso que há promotores de justiça que ordenam que eles sejam algemados. É por isso que há juízes que autorizam e recomendam o uso de técnicas de tortura contra eles. É por isso que há policiais prontos a bater, a socar, a prender. Porque esses meninos e essas meninas são perigosos, porque eles agarraram o futuro com as mãos e querem que o futuro seja aqui e agora, e não num tempo que nunca chega. Esses meninos são perigosos porque eles podem colocar o mundo de ponta cabeça, e de virá-lo em festa, trabalho e pão, como sonhou o poeta.

E esses meninos e essas meninas estão armados. Suas armas são as ideias que carregam, são o verbo que corta, a voz que inflama. Estão armados, eles. Trazem consigo a arma mais poderosa que há. Como em Pessoa, trazem em si todos os sonhos do mundo.

Parece que saíram de algum poema, esses meninos, essas meninas. Parecem que saíram de algum poema, para em tempos de tanta escuridão, de noite tão comprida, correrem pelas esquinas do Brasil, chamando pela aurora, acendendo as manhãs.

 imp-ult-1143335916

Em tempo 1:

Segundo informações do site Esquerda Diário, o Ministério Público ameaçou conduzir coercitivamente o reitor da UFRJ, Roberto Leher. De acordo com o veículo, “a ameaça de condução coercitiva ocorreu depois que o reitor pediu para alterar a data de depoimento que coincidia com a reunião do Conselho Universitário. O motivo do depoimento era ‘esclarecer’ a campanha ‘Em defesa da democracia’ que a universidade promoveu, envolvendo debates e shows com personalidades políticas, acadêmica e artísticas.”

Em tempo 2:

Via CUCA da UNE:  após uma longa assembléia no prédio da reitoria, 800 estudantes que participaram da discussão decidiram ocupar o prédio da reitoria na próxima segunda-feira, 07. Outros campus da universidade, como a Faculdade Nacional de Direito, Macaé e Praia Vermelha se somam à ocupação do Instituto de Filosofia e Ciências Sociais, o IFCS. Foi aprovada também a proposta da Carina Vitral, presidenta da UNE, de sair uma caravana da UFRJ a Brasília, bem como de todas as ocupações, para barrar a PEC 55 no Senado.


http://www.conversaafiada.com.br/brasil/quem-sao-os-jovens-que-ocupam-as-escolas

2 thoughts on “Brazil Spring:. Who are the Boys and Girls occupying 961 Schools and Universities”

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s